Heymann et al.58 Rev Bras Reumatol 2010;50(1):56-66Nos portais NICE (National Institute of Clinical Excelente) e OASIS, a digitação da palavra “bromyalgia”, não resultou em artigos. No portal DARE, foram encontrados dois resumos relevantes de revisões sistemáticas. Na National Guideline Clearinghouse, a busca por “bromyalgia” demonstrou 17 itens, sendo quatro diretrizes de interesse.9,24-26Um grupo de seis especialistas em reumatologia, considera-dos estudiosos e pesquisadores em bromialgia (Grupo I), por indicação da Sociedade Brasileira de Reumatologia, avaliou as diretrizes (guidelines) obtidas na pesquisa utilizando um instrumento próprio para este tipo pontuação.27 A incorporação dos guidelines internacionais na discussão local foi avaliada a partir do critério estabelecido pela AGREE Collaboration (Apraisal of Guidelines Research and Evaluation), que permite a avaliação e a comparação entre diferentes diretrizes (guideli-nes), permitindo, assim, a utilização dos melhores critérios de cada um. O AGREE é uma ferramenta genérica, podendo ser aplicada a qualquer patologia, incluindo aspectos diagnósticos, promoção da saúde, tratamento e outras intervenções.A metodologia proposta pelo AGREE avalia tanto a qua-lidade do enunciado como a qualidade de alguns aspectos intrínsecos às recomendações, dividida em seis domínios: Âmbito e nalidade (objetivo global da norma de orientação); Envolvimento das partes (representação de todas as partes inte-ressadas e potenciais utilizadores), Rigor do desenvolvimento (processo de coleta de evidências utilizado e formulação das recomendações); Clareza e apresentação (linguagem e forma-to), Aplicabilidade (aplicação das recomendações em termos organizacionais, comportamentais e de custos) e Independência editorial (isenção das recomendações e reconhecimento de conitos de interesse). Com base neste método de avaliação, foram escolhidas as diretrizes (guidelines) que alcançaram um percentual maior ou igual a 51% em todos os domínios.8,25,26 Essas diretrizes (guidelines) selecionadas serviram de base para que se elabo-rasse um questionário inicial para a construção do consenso. Esse questionário inicial foi então avaliado e modicado pelos integrantes do Grupo I. Outras metanálises e revisões sistemá-ticas que não passaram pelo método AGREE também foram avaliadas pelos especialistas do Grupo I, que decidiram pela sua incorporação ou não na lista de recomendações a serem questionadas.Os especialistas do Grupo I foram alertados de que as recomendações deveriam ser elaboradas de acordo com seu grau de recomendação e aplicabilidade no Brasil.Uma vez concluída a elaboração desse questionário pelo Grupo I, passamos à segunda etapa do projeto, ou seja, a vo-tação dessas recomendações.Segunda etapa: VotaçãoA segunda etapa consistiu na reunião entre médicos de várias especialidades que estudam e tratam a bromialgia, com a nalidade de votarem na sua concordância ou não com as armações elaboradas pelo Grupo I. Essas armações reproduzem os achados obtidos nos estudos consultados na primeira fase. Para isso, formou-se o Grupo II, constituído pelos integrantes do Grupo I acrescidos de especialistas selecionados por suas respectivas sociedades médicas, levando-se em conta sua experiência e reconhecimento no tratamento da doença em avaliação. O Grupo II foi formado por 30 especialistas provenientes das seguintes sociedades: Sociedade Brasileira de Reumatologia, Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor, Sociedade Brasileira de Clínica Mé-dica, Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, Academia Brasileira de Neurologia e Associação Brasileira de Medicina Física e Reabilitação. A votação das armações elaboradas foi eletrônica, e os participantes não foram identicados individualmente, apare-cendo somente o resultado do grupo. No momento da votação, todos os especialistas foram alertados que as recomendações deveriam ser avaliadas de acordo com seu grau de recomen-dação e aplicabilidade no Brasil.Todas as recomendações foram votadas como SIM ou NÃO, sendo que seguindo a metodologia BASCE,7 somente aquelas que tiveram uma votação SIM ou NÃO igual ou su-perior a 70% do grupo foram consideradas consensuais. As armações que não obtiveram consenso na primeira votação foram motivo de argumentações entre um especialista favorá-vel e outro contrário. Após o término desse debate, foi realizada nova votação. As questões que, após a segunda votação, não atingiram o percentual estabelecido foram consideradas como não tendo alcançado consenso e, portanto, não foram incluídas nas recomendações desse Consenso Brasileiro. Dessa forma, as práticas aqui recomendadas foram aquelas que obtiveram pelo menos 70% de consenso, e as não recomen-dadas foram aquelas em que pelo menos 70% dos especialistas concordaram em não as recomendar. As que não obtiveram consenso foram aquelas em que não houve pelo menos 70% de concordância em recomendá-las ou não.Como documentação, a reunião de consenso foi lmada e também documentada por meio de voto eletrônico.CAPTAÇÃO DE RECURSOSA Sociedade Brasileira de Reumatologia contratou os serviços da empresa Axia.Bio para a captação de recursos, condução
As sintomas podem variar de uma dorzinha até uma sensação de facada. A dor pode dificultar o movimento e manter uma postura reta. Muitas vezes a dor aguda nas costas aparece de repente, decorrente de um mal jeito no esporte ou no trabalho. Se a dor durar mais de três meses, pode ser considerada crônica. Caso a dor não melhore no prazo de 72 horas, é recomendando que consulte um médico.
As dores nas costas raramente são muito graves e se resolvem quase sempre após alguns dias mediante o uso de medicamentos ou outros tratamentos. É importante diferenciar a dor nas costas da hérnia de disco, que é uma doença específica que surge quando os elementos moles da coluna (discos vertebrais, nervos) são pressionados por má postura, sobrecarga, fraqueza muscular, etc.
The average labor duration was significantly different between the SP6 acupressure group [221.5 min (SD = 162.4)] versus placebo [397.9 min (SD = 265.6)] and versus control [381.9 min (SD = 358.3)] (p = 0.0047); however, the groups were similar regarding the cesarean section rates (p = 0.2526) and Apgar scores in the first minute (p = 0.9542) and the fifth minute (p = 0.7218) of life of the neonate.

No Brasil, o exagero parece ocorrer sobretudo nos exames de imagem, como raios X e ressonância magnética. Infelizmente, porém, esses métodos não têm a capacidade de acusar a origem precisa do incômodo, salvo exceções como um tumor. Pelo visto, ter tempo para puxar a história do sujeito e avaliá-lo ao vivo e em cores é mais útil do que apelar de imediato para a tecnologia. Mas o pior é que muitas vezes quem reclama de dor nas costas comete um grande erro: o de nem procurar um profissional e se automedicar. Aí o tiro sai mesmo pela culatra. Mais do que efeitos colaterais, remédios podem render sérios danos a outros órgãos.
Na medicina oriental, o funcionamento saudável do corpo depende da circulação da energia chi pelos meridianos - que são canais energéticos que existem ao longo do corpo num sistema de distribuição semelhantes às veias. A estimulação adequada de pontos-chave aos longo de meridianos pode desbloquear, intensificar ou redirecionar o chi para promover a cura de desconfortos e enfermidades. Cada meridiano tem uma função - alguns são yin e outros são yang -, mas todos fazem parte do fluxo cíclico de vitalidade de nosso corpo.

OHLTUENDE EFEITOS: libertação de tensão / rigidez muscular, alívio de dores nas costas (disco herniado, ciática, dor nas costas ...), dor cervical, fibromialgia, dores musculares; Reduzir o estresse, aliviar a ansiedade, promover o sono e relaxamento, alivia a enxaqueca, cólicas menstruais; promove a regeneração do atleta, a energia ... REFLEXOLOGIA aumenta: estimula o arco os pontos de reflexologia e alivia efetivamente "pernas pesadas".
Na hérnia discal lombar, o sintoma mais frequente é a ciatalgia ou dor ciática (dor aguda que irradia para a face lateral ou posterior de uma perna até ao pé / tornozelo). Para além da dor ciática, também pode verificar-se formigueiros, adormecimento, alterações na sensibilidade e fraqueza muscular do membro afetado. Mais raro é a dor irradiar pela face anterior da coxa, geralmente, sem ultrapassar o joelho (cruralgia), nos casos em que estão envolvidas outras raízes nervosas lombares.
Este ponto de acupressão fica localizado na planta do pé, logo a baixo do espaço entre o dedão e o segundo dedo do pé, onde os ossos destes dois dedos se cruzam. Para pressionar este ponto, deve usar a mão do lado oposto, pressionando a planta do pé com o polegar e o lado oposto com o dedo indicador, de forma a que a os dedos da mão formem uma pinça que envolve o pé.
×