Assim, se está tomando comprimidos de Paracetamol ou Tylenol, por exemplo, se achar que não está sendo suficiente porque não alivia a dor, poderá passar uma pomada anti-inflamatória no local da dor, antes de pensar em tomar outro comprimido, por que assim evita-se os efeitos colaterais que os remédios podem causar no fígado. Se achar que o remédio e a pomada não estão tendo o efeito esperado deve voltar ao médico para que ele possa indicar e aplicar a injeção. 


No século passado, atribuía-se o grande número de pessoas com dor lombar aos esforços feitos pelo corpo de forma repetida e errada, e com o desenvolvimento tecnológico, a tendência seria diminuir, já que hoje, se quisermos, não precisamos nem sair de casa para nada. E quanto aos atletas, seres fortes, saudáveis, com abdominais invejáveis (para alguns), exemplos de saúde, qual a razão de também sofrerem com as malditas dores? Fortalecer a musculatura ou alongar? Só abdominal resolve? Perguntas como estas são diárias nos consultórios e academias, só que não é tão simples assim. A boa saúde de nosso organismo como um todo depende de uma diversidade de fatores, em sua maioria, muito simples e que muitos teimam em complicar. Para um corpo ser saudável, ele precisa de fortalecimento e atividade, alongamento e repouso, além, é claro, de uma boa nutrição e hidratação.


Heymann et al.58 Rev Bras Reumatol 2010;50(1):56-66Nos portais NICE (National Institute of Clinical Excelente) e OASIS, a digitação da palavra “bromyalgia”, não resultou em artigos. No portal DARE, foram encontrados dois resumos relevantes de revisões sistemáticas. Na National Guideline Clearinghouse, a busca por “bromyalgia” demonstrou 17 itens, sendo quatro diretrizes de interesse.9,24-26Um grupo de seis especialistas em reumatologia, considera-dos estudiosos e pesquisadores em bromialgia (Grupo I), por indicação da Sociedade Brasileira de Reumatologia, avaliou as diretrizes (guidelines) obtidas na pesquisa utilizando um instrumento próprio para este tipo pontuação.27 A incorporação dos guidelines internacionais na discussão local foi avaliada a partir do critério estabelecido pela AGREE Collaboration (Apraisal of Guidelines Research and Evaluation), que permite a avaliação e a comparação entre diferentes diretrizes (guideli-nes), permitindo, assim, a utilização dos melhores critérios de cada um. O AGREE é uma ferramenta genérica, podendo ser aplicada a qualquer patologia, incluindo aspectos diagnósticos, promoção da saúde, tratamento e outras intervenções.A metodologia proposta pelo AGREE avalia tanto a qua-lidade do enunciado como a qualidade de alguns aspectos intrínsecos às recomendações, dividida em seis domínios: Âmbito e nalidade (objetivo global da norma de orientação); Envolvimento das partes (representação de todas as partes inte-ressadas e potenciais utilizadores), Rigor do desenvolvimento (processo de coleta de evidências utilizado e formulação das recomendações); Clareza e apresentação (linguagem e forma-to), Aplicabilidade (aplicação das recomendações em termos organizacionais, comportamentais e de custos) e Independência editorial (isenção das recomendações e reconhecimento de conitos de interesse). Com base neste método de avaliação, foram escolhidas as diretrizes (guidelines) que alcançaram um percentual maior ou igual a 51% em todos os domínios.8,25,26 Essas diretrizes (guidelines) selecionadas serviram de base para que se elabo-rasse um questionário inicial para a construção do consenso. Esse questionário inicial foi então avaliado e modicado pelos integrantes do Grupo I. Outras metanálises e revisões sistemá-ticas que não passaram pelo método AGREE também foram avaliadas pelos especialistas do Grupo I, que decidiram pela sua incorporação ou não na lista de recomendações a serem questionadas.Os especialistas do Grupo I foram alertados de que as recomendações deveriam ser elaboradas de acordo com seu grau de recomendação e aplicabilidade no Brasil.Uma vez concluída a elaboração desse questionário pelo Grupo I, passamos à segunda etapa do projeto, ou seja, a vo-tação dessas recomendações.Segunda etapa: VotaçãoA segunda etapa consistiu na reunião entre médicos de várias especialidades que estudam e tratam a bromialgia, com a nalidade de votarem na sua concordância ou não com as armações elaboradas pelo Grupo I. Essas armações reproduzem os achados obtidos nos estudos consultados na primeira fase. Para isso, formou-se o Grupo II, constituído pelos integrantes do Grupo I acrescidos de especialistas selecionados por suas respectivas sociedades médicas, levando-se em conta sua experiência e reconhecimento no tratamento da doença em avaliação. O Grupo II foi formado por 30 especialistas provenientes das seguintes sociedades: Sociedade Brasileira de Reumatologia, Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor, Sociedade Brasileira de Clínica Mé-dica, Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, Academia Brasileira de Neurologia e Associação Brasileira de Medicina Física e Reabilitação. A votação das armações elaboradas foi eletrônica, e os participantes não foram identicados individualmente, apare-cendo somente o resultado do grupo. No momento da votação, todos os especialistas foram alertados que as recomendações deveriam ser avaliadas de acordo com seu grau de recomen-dação e aplicabilidade no Brasil.Todas as recomendações foram votadas como SIM ou NÃO, sendo que seguindo a metodologia BASCE,7 somente aquelas que tiveram uma votação SIM ou NÃO igual ou su-perior a 70% do grupo foram consideradas consensuais. As armações que não obtiveram consenso na primeira votação foram motivo de argumentações entre um especialista favorá-vel e outro contrário. Após o término desse debate, foi realizada nova votação. As questões que, após a segunda votação, não atingiram o percentual estabelecido foram consideradas como não tendo alcançado consenso e, portanto, não foram incluídas nas recomendações desse Consenso Brasileiro. Dessa forma, as práticas aqui recomendadas foram aquelas que obtiveram pelo menos 70% de consenso, e as não recomen-dadas foram aquelas em que pelo menos 70% dos especialistas concordaram em não as recomendar. As que não obtiveram consenso foram aquelas em que não houve pelo menos 70% de concordância em recomendá-las ou não.Como documentação, a reunião de consenso foi lmada e também documentada por meio de voto eletrônico.CAPTAÇÃO DE RECURSOSA Sociedade Brasileira de Reumatologia contratou os serviços da empresa Axia.Bio para a captação de recursos, condução
O destaque do Pilates no tratamento de dores na coluna se deve ao trabalho de fortalecimento de uma musculatura que é essencial para a proteção da coluna, composta por músculos estabilizadores. São eles: o transverso do abdômen e o multífido lombar. As primeiras aulas do Pilates devem ser voltadas para o aprendizado da contração correta destes músculos. Este treino pode ser realizado seguindo as etapas do modelo de exercícios de estabilização segmentar vertebral, desenvolvido por Richardson, Hodges e Hides (2011).
Para obter alívio imediato no caso de dor ciática aguda, o médico pode recomendar os seguintes medicamentos: anti-inflamatórios não esteroides, cortisona e relaxantes musculares. Muitas vezes o médico prescreve uma injeção de anti-inflamatórios e relaxantes musculares juntos, por exemplo: Muscoril e Voltaren. Se estes princípios ativos não reduzem a dor, o médico pode fazer as infiltrações de cortisona.
Antes de iniciar a terapia, ele estará descansando por várias semanas. O intervalo de recuperação é geralmente cerca de meio ano. Isso significaria Woods, um vencedor dos principais torneios da 14 e dos títulos 79 PGA Tour, não vai jogar em nenhuma das quatro maiores por um segundo ano consecutivo. Ele agora é classificado como o número 788 no mundo.
Lin Tchie Yeng – O primeiro passo é fazer um exame físico e neurológico para afastar a possibilidade de algumas miopatias, problemas neurológicos que podem induzir cansaço e fraqueza muscular. Depois, é feita uma avaliação das estruturas musculares, ósseas e dos ligamentos. Esses exames são fundamentais para descartar outras doenças. Por fim, apalpam-se os 18 pontos dolorosos já mencionados para fechar o diagnóstico. Alguns autores defendem que, havendo de nove a 11 pontos dolorosos, a doença está caracterizada.

Segundo a lenda, foi um camponês chinês que sofria de dores de cabeça que desenvolveu a técnica da acupressão. Enquanto lavrava, ele deixou o arado cair no dedão do pé. Pouco depois, suas dores de cabeça desapareceram. No dia seguinte, após o surgimento de uma nova dor de cabeça, ele repetiu a experiência, e o resultado foi o mesmo. Não sabemos se essa história é verdadeira ou não, mas a acupressão parece ser realmente originária da China, assim como a acupuntura. Mas, apesar de ambas as práticas estarem relacionadas, a acupressão não utiliza agulhas.
Artigos científicos vêm mostrando que existem inúmeras circunstâncias que contribuem para o desencadeamento da dor lombar, como insatisfação com o trabalho, excesso de peso ou obesidade, hábito de fumar, sedentarismo, síndromes depressivas, fatores genéticos e antropológicos, alterações climáticas, modificação na pressão atmosférica, dentre outros.
Na maioria dos adultos, hérnia ou hérnia discal é o resultado de anos de envelhecimento e colocar pressão sobre o corpo, a partir de coisas como o exercício físico, má postura, altos níveis de inflamação e, por vezes, lesões. Conforme envelhecemos, naturalmente espinhal discos perdem a sua elasticidade, como fluido espinhal diminui, fazendo com que a probabilidade de ocorrência de fracturas ou fissuras para aumentar.
Na lombalgia mecânica – que é a mais comum a dor não irradia para outros lugares como a coxa e passa depois de um tempo com ou sem o tratamento. Caso as dores cronifiquem, é importante o acompanhamento de um médico especialista, que irá receitar medidas farmacológicas e não farmacológicas, que podem variar desde exercícios físicos à acupuntura e outras infiltrações.
Para ser muito sincera, só hoje, depois de já ter este tapete há umas duas semanas, é que consegui, finalmente, relaxar em cima dele... O stress é o meu companheiro diário e por isso sempre que me deitava sobre o tapete não conseguia parar de me mexer e claro que começava a doer e desistia. Mas hoje, quando acordei, fui buscá-lo, meti-o em cima da cama e pousei o meu belo rabiosque sobre ele. Depois de relaxar, deixei de sentir os piquinhos do colchão e de pensar neles et voilà estou num relax total... JURO!

– Deixe o monitor do computador na altura dos seus olhos. Abaixar-se para olhar a tela provoca dor no pescoço. O teclado deve ficar em um ângulo de noventa graus com os cotovelos e os punhos precisam estar na mesma linha que o teclado. Nossa cabeça pesa em torno de cinco quilos. Se você se abaixar para olhar o monitor, todo o peso dela ficará a cargo da coluna, gerando um peso aproximado de treze quilos.
As participantes foram alocadas por meio de uma lista de seleção de números aleatórios e distribuídas em três grupos: acupressão (BP6); grupo toque (GT), placebo; e grupo controle (GC). O estudo utilizou o método duplo-cego; nem as parturientes do grupo BP6 e GT nem tampouco os profissionais que prestavam assistência na unidade obstétrica sabiam a que grupo cada participante pertencia. Com relação ao GC, não houve possibilidade de cegamento devido às próprias características do estudo.
Como resultado do envelhecimento das células, ocorre freqüentemente hérnias de disco. Se não forem suficientes, novas células são substituídas pelo corpo, o tecido periférico perde a capacidade de manter o disco como as imagens. O núcleo do disco intervertebral então possui furos, a partir desses orifícios o líquido então emerge e causa inflamação.
Na consulta, deve descrever todos os sintomas e intensidade da dor. O médico especialista escutará a história do doente e em seguida realizará um exame físico para identificar as possíveis causas da dor. Em seguida, poderá, dependendo da avaliação, solicitar alguns exames de imagem para diagnosticar a causa da ciática, tais como Raio-X, Ressonância magnética ou TAC.
Curiosamente, apesar da riqueza de sintomas, não há alterações detectáveis nos exames laboratoriais nem nos exames de imagem, como radiografias, ultrassonografia, tomografias, etc. Além da dor, mais nada é detectado através do exame físico do paciente com fibromialgia. Biópsias realizadas nos músculos, tendões e ligamentos nada revelam, não há sinais de inflamação, não há lesões e muito menos alterações estruturais.
Na comparação entre ultrassom, laser e ultralaser aplicados no músculo trapézio, houve um percentual de diferença de 57,72% na melhora de funcionalidade e 63,31% na redução de dor para o grupo de ultralaser. Já na comparação entre o tratamento no musculo trapézio e na palma das mãos com ultralaser, houve um percentual de diferença de 75,37% na redução de dor para o tratamento focado nas palmas das mãos.
O diagnóstico da dor ciática pode ser feito pelo médico ortopedista ou pelo fisioterapeuta com base nos sinais e sintomas apresentados. O teste que consiste em comprovar a alteração do nervo ciático pode ser feito no consultório é: ficar deitado de barriga para cima e levantar a perna esticada da maca, se houver dor ou sensação de formigamento, o teste indica compressão ciática. Se houver dor na outra perna, isso indica grave alteração da coluna, como uma hérnia de disco extrusa, por exemplo.
Lin Tchie Yeng – Com o uso exclusivo de anti-inflamatórios, a dor melhora por uns tempos, mas torna a aparecer. No tratamento da fibromialgia, medicação ajuda, mas não é o suficiente. É importante trabalhar com o lado físico e psicológico do paciente. Por isso, os antidepressivos representam uma primeira e conveniente opção. Associados aos analgésicos e anti-inflamatórios, diminuem os sintomas da dor. No entanto, pacientes com fibromialgia ou dores crônicas requerem abordagem multidisciplinar para que o tratamento apresente resultados mais eficientes.
×