Conheça os principais usos da acupressão. Por mais que a técnica seja utilizada no tratamento de vários problemas de saúde, o uso mais comum é o do alívio de dores de dor de cabeça, dores no pescoço e dores nas costas. Muitas pessoas também utilizam a acupressão para controlar o enjoo, a fadiga, o estresse, a perda de peso e até mesmo alguns vícios. Acredita-se que a técnica ajude a reduzir a tensão muscular e promova um relaxamento profundo.[5]
Lin Tchie Yeng – LER (lesões por esforços repetitivos), ou DOT (distúrbios osseomusculares relacionados ao trabalho), é uma doença bastante comum atualmente. Estima-se que, em São Paulo, de 5% a 8% dos trabalhadores apresentem dor no braço ou na região cervical como consequência de suas atividades profissionais. No Hospital das Clínicas, mais ou menos 30% das pessoas com tendinite provocada pela repetição contínua de certos movimentos, sofrem também de fibromialgia e isso causa diagnósticos e tratamentos equivocados.
For the variables where comparisons were made between the groups and measurements were made for more than one period during the evaluation, Bonferroni’s correction was used, dividing the level of significance by the number of comparisons. When the variable was measured in three periods and the groups were compared in each period, the level of significance was 1.67%. For multiple comparisons, the level of significance was also corrected using the same criterion.
Os tratamentos que permitem o alívio sintomático (que permitem abrandar ou acabar com a dor) são eleitos como primeira escolha (tratamento conservador). Em algumas patologias, como por exemplo na hérnia discal, espondilose, etc., estão indicados outros tratamentos, nomeadamente o tratamento cirúrgico (cirurgia ou operação), na falência dos tratamentos conservadores. Veja mais informação sobre tratamento em cada uma das patologias.
Consenso brasileiro do tratamento da fibromialgia57Rev Bras Reumatol 2010;50(1):56-66INTRODUÇÃOA bromialgia é uma das doenças reumatológicas mais frequentes, cuja característica principal é a dor musculoesquelética difusa e crônica.Em um estudo realizado no Brasil, em Montes Claros, a bromialgia foi a segunda doença reumatológica mais frequen-te, após a osteoartrite. Neste estudo, observou-se prevalência de 2,5% na população, sendo a maioria do sexo feminino, das quais 40,8% se encontravam entre 35 e 44 anos de idade.1Além do quadro doloroso, estes pacientes costumam queixar-se de fadiga, distúrbios do sono, rigidez matinal, parestesias de extremidades, sensação subjetiva de edema e distúrbios cognitivos. É frequente a associação a outras comorbidades, que contribuem com o sofrimento e a piora da qualidade de vida destes pacientes. Dentre as comorbidades mais frequentes podemos citar a depressão, a ansiedade, a síndrome da fadiga crônica, a síndrome miofascial, a síndrome do cólon irritável e a síndrome uretral inespecíca.2 Os portadores da bromialgia utilizam-se de mais terapias analgésicas e procuram os serviços médicos e de diagnóstico com maior frequência que a população normal. Dessa forma, não é de se estranhar que nos EUA seus custos de saúde anuais cheguem a U$ 9.573,00 por paciente, representando gastos 3 a 5 vezes maiores do que a população em geral.3 Uma parcela con-siderável destes custos pode ser economizada quando o paciente tem seu diagnostico realizado e é tratado corretamente, evitando exames complementares desnecessários e medicamentos inúteis para o seu tratamento.4 Embora seja uma doença reconhecida há muito tempo, a bromialgia tem sido seriamente pesquisada somente há três décadas. Pouco ainda é conhecido sobre sua etiologia e pato-gênese. Até o momento, não existem tratamentos que sejam considerados muito ecazes.A bromialgia é uma síndrome primariamente pesquisada e tratada por reumatologistas principalmente por envolver um quadro crônico de dor musculoesquelética, mas frequentemente estes pacientes requerem um acompanhamento multidiscipli-nar com o objetivo de alcançar uma abordagem ampla e mais completa de seus sintomas e comorbidades.Em 2004, a Sociedade Brasileira de Reumatologia publi-cou as primeiras diretrizes da bromialgia, com o objetivo de direcionar o diagnóstico e o tratamento desta síndrome.5 O objetivo da gestão SBR 2006-2008 neste trabalho não foi somente o de atualizar as diretrizes do tratamento da bromial-gia, mas foi o de inovar, ao reunir especialistas de outras áreas médicas com conhecimento desta síndrome, para elaborarem um consenso sobre seu tratamento.METODOLOGIAOs temas revisados foram divididos em três categorias: 1) importância do diagnóstico da bromialgia com recomen-dações gerais; 2) tratamento medicamentoso; 3) modalidades terapêuticas não medicamentosas. Os graus de recomendação e os níveis de evidência cientíca utilizados foram os do Projeto Diretrizes da Associação Médica Brasileira.6 A metodologia utilizada foi a do Sistema BASCE,7 método organizacional desenvolvido pela consultoria Axia.Bio com o objetivo de minimizar desvios e direcionamentos dos resul-tados sendo baseada em critérios cientícos já estabelecidos pela literatura. O sistema BASCE propõe uma abordagem sis-temática para adaptação de diretrizes (guidelines) e consensos produzidos em diferentes cenários, observando a resposta de questões relevantes ao cenário local, por meio da apresentação de resultados de forma explícita e transparente, para que o material produzido tenha qualidade e validade cientíca local através de: Busca ampla e sistemática na literatura médica por diretri-zes (guidelines) e consensos referentes a determinada doença; Avaliação estruturada destes, com participação de quatro ou mais especialistas locais que fazem a Seleção do material a ser utilizado, com base em pontuações; Grupo de Consenso e revisão externa com outros oito ou mais especialistas locais; Estruturação de material adaptado para a realidade local.Este processo foi dividido em duas etapas.Primeira etapa: Preparação das questões que seriam deliberadas pelo grupo do consensoPara tal foi realizada pesquisa bibliográca em bancos de dados das diretrizes (guidelines), metanálises e revisões sistemáticas sobre bromialgia.A busca de literatura no portal Pubmed ocorreu através da seguinte estratégia de busca: (“bromyalgia” [MeSH Terms] OR “bromyalgia”[All Fields]) AND systematic[sb] AND ((“1”[PDAT] : “2008/06/13”[PDAT]) AND (English[lang] OR Spanish[lang] OR Portuguese[lang])), sendo encontrados 109 trabalhos, dos quais 24 demonstraram ser publicações que atendiam aos objetivos da busca e, posteriormente, foram capturados no seu formato de texto completo (full text). Fo-ram selecionados 15 trabalhos, na sua maioria metanálises, e também diretrizes (guidelines).8-22Na biblioteca Cochrane, o termo “bromyalgia” retornou um artigo na sessão de metanálises completas.23 Na parte de protocolos, foram observados dois projetos que ainda não estavam nalizados.

Na hérnia discal cervical – pode ocorrer dor cervical (cervicalgia) ou dor irradiada ao longo do braço, por vezes, até à mão (braquialgia; cervicobraquialgia), espasmos e dores nos músculos do pescoço, dor no ombro e braço, descrita pelos doentes como “ardimento (ardência) ou queimação”, dor de costas como uma “pontada ou fisgada”. Para além destes sintomas é também possível a ocorrência de dor de cabeça (cefaleias), formigueiros, adormecimento, alterações na sensibilidade e fraqueza muscular do membro afetado.
Os sintomas são claros e caracterizam-se por dores nas regiões das costas, podendo ter redução da flexibilidade e rigidez da coluna. Normalmente o diagnóstico é simples, feito diretamente pelo médico. Entretanto, em alguns casos, o profissional da saúde pode requerer exames mais específicos para investigar a fundo as causas das dores. A base das costas (região lombar) é muitas vezes o lugar mais doloroso, pois é aí que a coluna suporta mais peso.

Consenso brasileiro do tratamento da fibromialgia59Rev Bras Reumatol 2010;50(1):56-66lidades de tratamentos não farmacológico e farmacológico. O tratamento deve ser elaborado, em discussão com o paciente, de acordo com a intensidade da sua dor, funcionalidade e suas características, (grau de recomendação A),8,25 sendo importante também levar em consideração suas questões biopsicossociais, (grau de recomendação D) (Grupo I-SBR) e culturais (grau de recomendação D).26 A dor crônica é um estado de saúde persistente que modica a vida. O objetivo do seu tratamento é o controle e não sua eliminação (grau de recomendação D).26Tratamento medicamentosoDentre os compostos tricíclicos, a amitriptilina, e entre os relaxantes musculares, a ciclobenzaprina reduzem a dor e frequentemente melhoram a capacidade funcional estando, portanto, recomendadas para o tratamento da bromialgia (grau de recomendação A, nível de evidência Ib).8 A nortriptilina foi recomendada pelo grupo para o tratamento da bromialgia, ao contrário da imipramina e da clomipramina que não foram recomendadas (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).Entre os inibidores seletivos de recaptação da serotonina, houve consenso de que a uoxetina em altas doses (acima de 40 mg) também reduz a dor e frequentemente melhora a capa-cidade funcional sendo também recomendada para o tratamento da bromialgia (grau de recomendação A, nível de evidência Ib).8 O uso de inibidores da recaptação da serotonina, como a uoxetina, em combinação com tricíclicos também está reco-mendado no tratamento da bromialgia (grau de recomendação B).25 O uso isolado dos demais inibidores de recaptação da serotonina, como a sertralina, a paroxetina, o citalopram e o escitalopram, não foi recomendado (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).Dentre os antidepressivos que bloqueiam a recaptação da serotonina e da noradrenalina, a duloxetina e o milnaciprano foram recomendados por reduzirem a dor e frequentemente melhorarem a capacidade funcional dos pacientes com bro-mialgia (grau de recomendação A, nível de evidência Ib).8 Não houve consenso quanto à utilização da venlafaxina em pacien-tes com bromialgia (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).A moclobemida, um antidepressivo inibidor da MAO, foi recomendada no tratamento da bromialgia por reduzir a dor e frequentemente melhorar a capacidade funcional dos pacientes com bromialgia (grau de recomendação A, nível de evidência Ib).8Não houve consenso quanto à utilização da trazodona em pacientes com bromialgia (grau de recomendação D) (Grupo I SBR).técnica do consenso e estruturação das reuniões do consenso brasileiro para o tratamento da bromialgia.Os recursos provenientes para a realização deste consenso foram obtidos dos laboratórios Mantecorp Indústria Química e Farmacêutica Ltda., Janssen-Cilag Farmacêutica Ltda., Ap-sen Farmacêutica S/A e Laboratórios Pzer Ltda. Cada uma dessas empresas contribuiu com uma cota igual, referente a ¼ dos custos. A captação dos recursos cou a cargo da empresa Axia.Bio, que contatou e se reuniu com os responsáveis dessas empresas. O nome dos especialistas envolvidos neste trabalho foi mantido em sigilo, e qualquer contato dessas empresas com médicos participantes do consenso foi proibido. Dessa forma, pudemos garantir a isenção dos nossos resultados. RESULTADOSForam votadas 74 questões, atingindo-se consenso em 68 (92%) destas. Somente seis (8%) questões não obtiveram consenso.Diagnóstico e recomendações geraisA bromialgia deve ser reconhecida como um estado de saúde complexo e heterogêneo no qual há um distúrbio no processa-mento da dor associado a outras características secundárias,8 (grau de recomendação D, nível de evidência IV). O diagnóstico da bromialgia é exclusivamente clínico e eventuais exames subsidiários podem ser solicitados apenas para diagnóstico diferencial (grau de recomendação D) (Grupo I). O diagnóstico deve ser conrmado logo ao início do tratamento, para que possamos esclarecer ao paciente o que é verdadeiro e o que é falso (grau de recomendação D).25 A orientação ao paciente é fator crítico para o controle ideal da bromialgia (grau de recomendação B).25 Como parte inicial do tratamento, devemos fornecer aos pacientes informações básicas sobre a bromialgia e suas opções de tratamento, orientando-os sobre controle da dor e programas de autocontrole (grau de recomendação A).25 A completa compreensão da bromialgia requer uma ava-liação abrangente da dor, da função e do contexto psicossocial (grau de recomendação D, nível de evidência IV).8 Além da dor, é importante avaliar a gravidade dos outros sintomas como fadiga, distúrbios do sono, do humor, da cognição e o impacto destes sobre a qualidade de vida do paciente (grau de recomendação D).25 Houve consenso que a bromialgia não justica afastamento do trabalho (grau de recomendação D) (Grupo I-SBR).A estratégia para o tratamento ideal da bromialgia requer uma abordagem multidisciplinar com a combinação de moda-


The three groups in this study were homogenous before the designated treatment for some variables that may be considered to have an influence on the duration of the first stage of labor, including parity, stated labor duration before treatment, integrity of amniotic membranes, cervical dilation, and number and intensity of contractions. However, there was a difference in the number of contractions reported by the participants during treatment, with the median of one less contraction for TG, in addition to noninduction or augmentation of labor. The need for oxytocin was greater among the parturients in the SP6G and TG; however, there was no significant difference in the induction of labor with prostaglandin or cervical preparation with a cervical catheter.
Woods não tem a supervisão de um coach desde que parou de trabalhar com Chris Como, no final de 2017. E diz que assim continua. Para ele, as consultas com Killen são, por enquanto, experimentais, e que eles conversaram casualmente no campo e que já se conheciam da Ryder Cup de Hazeltine, em 2016, onde Woods atuou como vice-capitão dos EUA. Killen, seria apenas um par de olhos a mais em suas atuações sobre os greens.
Melhorar o fluxo de sangue e aliviar a tensão muscular em seus pés, utilizando os pontos de pressão específicos TCM (medicina tradicional chinesa) para a melhoria total do corpo positivo. Com pontos de acupuntura precisos em cada um dos pés estas sandálias de vida saudáveis ​​pode ajudar as pessoas a aliviar a tensão muscular crônica ou esporádica e desconfortos corporais.

Estes movimentos são realizados de maneira suave promovendo a concentração e relaxamento do aluno. A técnica é também usada para promover o condicionamento físico, trabalhar a força e flexibilidade e melhorar a consciência corporal. Por ser um método com inúmeros benefícios e com chances reduzidas de provocar lesões, é muito procurado por esportistas de várias modalidades e indivíduos com sinais de fraqueza muscular, lombalgia e estresse.
Determinadas abordagens de tratamento para a ciática sempre dependem do que está fazendo com que o nervo anatomia dano para começar, então, vendo um profissional é que vale a pena. Alguns médicos escolher para o uso de medicamentos como anti-inflamatórios, relaxantes musculares ou esteróides para tratar grave do nervo ciático dor, mas existem fortes evidências de que a fisioterapia, quiropraxia ajustes e alongamento tudo pode melhorar drasticamente a forma de alguém de condição.
(Fontes: Maurício Garcia, coordenador do setor de fisioterapia do Instituto Cohen de ortopedia, reabilitação e medicina do esporte e fisioterapeuta do Centro de Traumatologia do Esporte da Unifesp – CREFITO 3/8090-F; Ricardo Munir Nahas, ortopedista, traumatologista, médico do esporte e coordenador do Centro de Medicina do Exercício e do Esporte do Hospital Nove de Julho – CRM 34914/SP; Thiago Medeiros, fisioterapeuta e osteopata do Instituto Curarte e professor da Universidade São Francisco e UniMetrocamp – CREFITO 3 /125946-F)
No tratamento por acupressão, distinguem-se duas formas de massa principais. A primeira massagem é a massagem de acupuntura. Na massagem de acupuntura, a massagem é desenvolvida por meio da propagação. O outro é a massagem de pressão, também conhecida como "Shiatsu". No caso do Shiatsumassage, os alvos da massagem são alcançados por meio de pressão opaca em certos pontos do corpo.
Desaconselha-se vivamente o acamamento no caso de dores agudas, visto que uma musculatura das costas mal treinada constitui um fator de risco para dores sacroilíacas. Exercício regular - como ginástica vertebral ou natação - faz parte do tratamento prolongado e, simultaneamente, é a melhor prevenção. Em cursos especiais pode reaprender-se a postura certa para as costas. Cintas especiais para as costas podem ajudar a estabilizar as costas e a reduzir as tensões.
O sistema do corpo miofascial é construído a partir de um arranjo contínuo dos tecidos destinados a funcionar em padrões organizados, não como grupos musculares isolados. Quando a funcionar correctamente, energia com competência é transmitida via força-acoplamento por meio de uma cadeia de reação enraizada na terra. Recrutamento da unidade motora só se torna isolado para um grupo muscular precisa quando o cérebro percebe uma desconexão do sistema e chama-se no "subs". Como, durante um balanço do golfe, se uma cápsula de quadril fibrosed estavam bloqueando a transferência de energia da cadeia cinética, acoplamento de força normal iria sofrer devido à falta de mobilidade da cabeça do fêmur no acetábulo. (Fig. 3) O terapeuta manual deve primeiro mobilizar a articulação fixada em todos os três planos cardinais e mova a cadeia cinética para avaliar e corrigir qualquer compensação sacroilíaca ou lombar que pode dirigir dor nas costas do jogador de golfe. 

6 minutos Fibromialgia tem cura? Conhecida por causar muitas dores nos músculos, sinais de fadiga, dificuldades para memorizar algo e humor extremamente alterado, a fibromialgia afeta aproximadamente 3% da população do Brasil. Seja bem-vindo(a) a mais um artigo do blog Sua Solução Online. Dando continuidade a sequência de informações sobre o tema Fibromialgia, no post de hoje você irá saber se fibromialgia tem cura ou não. Dados comprovam que, de cada 10 pacientes diagnosticados com a doença fibromialgia, 8 delas são do sexo feminino. Assim, Continue lendo→

Em 50% dos casos os sintomas iniciam-se após um evento pontual, tal como um estresse físico ou psicológico. Nos outros 50% não se consegue detectar nenhum gatilho para o surgimento dos sintomas. Pessoas com história familiar positiva apresentam oito vezes mais chances de ter fibromialgia que o resto da população, o que sugere fortemente uma causa genética.
Estima-se que 85% da população mundial sofrerá com dores nas costas pelo menos uma vez na vida. Para os praticantes de atividades físicas, as chances de ter uma debilidade por conta de dores lombares também são altas. No caso dos atletas, entretanto, é mais importante ainda que o tratamento seja feito corretamente, pois as chances de agravar a lesão com a atividade física são grandes.
... Intervenções comportamentais apresentaram evidências de efetividade e, portanto, constituem parte dos procedimen- tos clínicos padrão no tratamento da FM (Heymann, et al. 2010;Provenza et al., 2004). Existem diferentes estratégias comportamentais para o tratamento da dor crônica, dentre elas o modelo de condicionamento clássico baseado na ex- posição graduada de situações as quais o indivíduo evita por ter anteriormente sentido dor; o modelo operante que se ba- seia na relação entre os comportamentos de dor (e.g.: maior tempo em repouso, pedido de medicação, queixas relaciona- das à dor, entre outros) e a sua manutenção por regras (e.g.: "sair de casa vai piorar a dor") ou pelas consequências a cur- to prazo fornecidas pelo ambiente social; e o modelo cogniti- vo que destaca o papel causal das crenças e distorções cognitivas, que podem intensificar a percepção da dor (Glombiewsk et al., 2010;Vandenberghe, 2014). ...
×